Falando numa Conferência de Imprensa, João Mathombe, da Associação dos Produtores de Óleos e Sabões (AIOPA) esclareceu que a isenção do IVA no Açúcar, Óleo Alimentar e Sabões não está a ter efeitos positivos no preço ao consumidor final.

João Mathombe aponta vários factores, sendo de destacar o aumento do custo das matérias-primas em cerca de 371,5% para os óleos e 62,2% para os sabões. Tendo em conta que, no mesmo período, os preços de mercado destes produtos subiram, respectivamente, 68% e 33%, pode-se concluir que esta subida dos custos das matérias-primas não foram repassados na totalidade para os preços do mercado.

Como resultado do trabalho de monitoria feito pela CTA sobre o impacto da isenção do IVA e, olhando para todas componentes, nota-se que, sem a isenção do IVA, o preço médio ao consumidor do óleo estaria MZM 146,25 contra os MZM 125,00 praticados no mercado, havendo um benefício claro de MZM 21,25 por litro; na componente dos sabões, nota-se que o preço médio, sem isenção, estaria MZM 73,71 contra os actuais MZM 63,00 praticados, um benefício estimado em MZM 10,71.

Relacionado  Sector privado convidado a participar no Choiseul Africa Business Forum

Os benefícios são, também evidentes no custo da cesta básica estimado em MZM 3 469,39 contra os MZM 4 059,18 que custaria, sem isenção do IVA, o que se consubstancia numa poupança estimada em MZM 589,79 para o consumidor.

“A CTA, com os seus membros, com destaque para a Indústria de Açúcar, Óleo Alimentar e Sabões, têm estado a trabalhar com o Governo visando encontrar soluções de equilíbrio a médio e longo prazo de modo a garantir a consolidação da indústria local e a competitividade regional e internacional”, esclareceu João Mathombe,

Para Mathombe, uma avaliação dos preços, sem tomar sequer em consideração o custo, quer da matéria-prima, bem como da produção, pode conduzir a resultados pouco realísticos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui