Na província de Sofala, mais de dois mil trabalhadores de vários ramos de actividades foram despedidos dos seus postos de trabalho este ano devido à crise económica provocada pela pandemia da Covid-19.

A maior parte das empresas que declararam falência são dos sectores da indústria e comércio e restauração segundo deu a conhecer o presidente da comissão de administração pública e poder local da Assembleia da República.

Segundo Francisco Mucanheia apesar da crise pandémica a produção global da província de Sofala registou nos primeiros seis meses um incremento de um ponto seis por cento.

Falando esta sexta-feira em conferência de imprensa, aquele deputado da Assembleia da República, manifestou preocupação pelo desrespeito pelas normas de prevenção do novo coronavírus em alguns sectores de actividades laboral e outros.

Na província de Sofala os membros da comissão de administração pública e poder local da assembleia da república irão trabalhar nos distritos da Beira, Dondo e Nhamatanda.

Durante cinco dias, também estão previstos vários encontros com os conselhos de representação do estado, executivo provincial, autarquias locais, assembleia provincial e o gabinete de combate a corrupção.

FONTENotícias AI

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui