Sexta-feira, Julho 19, 2024
spot_img

Presidente do Standard Bank propõe criação de Fundo Catalítico para Startups em Moçambique

Esselina Macome, Presidente do Conselho de Administração (PCA) do Standard Bank, manifestou, durante o Fórum de Investimento: Moçambique-União Europeia, a necessidade urgente de estabelecer um ecossistema propício ao desenvolvimento de startups e micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) em Moçambique. A líder do Standard Bank defendeu a criação de um fundo catalítico como meio essencial para fornecer suporte financeiro e técnico crucial para as fases iniciais desses empreendimentos.

Durante o evento realizado em Maputo, promovido pela Global Gateway para fomentar oportunidades de negócios entre startups e MPMEs, Macome sublinhou a importância de um ambiente que encoraje o surgimento de novas ideias e ofereça orientação para garantir a sustentabilidade desses negócios no mercado.

“Ao iniciar uma startup, especialmente na fase de desenvolvimento da ideia, ela precisa de suporte financeiro, suporte técnico e pessoas para tornar essa ideia uma realidade. Esse tipo de apoio não é viável por meio de crédito bancário convencional”, explicou Macome.

A PCA do Standard Bank sublinhou a necessidade de um fundo catalítico como uma abordagem eficaz para apoiar essas iniciativas desde as fases iniciais. Segundo ela, uma vez consolidadas, essas iniciativas poderiam então procurar suporte financeiro no sector bancário tradicional.

Macome concluiu seu discurso desafiando as instituições a considerarem a implementação de créditos específicos para cada projecto, levando em consideração suas particularidades. Ela ressaltou a importância de colectar dados detalhados das iniciativas antes de conceder créditos específicos, destacando a era digital em que vivemos.

“A participação em um fundo é essencial, pois ser recomendado por uma instituição aumenta as possibilidades de obter uma resposta positiva para o crédito e confiança na instituição que o fornece. A questão dos dados é crucial, estamos na era digital e é fundamental ter informações”, afirmou Macome.

A proposta de um fundo catalítico visa impulsionar ideias inovadoras e elevar essas iniciativas a um nível mais avançado de desenvolvimento. O apoio financeiro e técnico durante as fases iniciais, segundo Macome, é crucial para o florescimento do empreendedorismo em Moçambique.

Entrevistas Relacionadas

Access Bank Mozambique e ACLM firmam acordo para impulsionar crescimento económico e apoiar PME’s

O Access Bank Mozambique e a Associação de Conteúdo...

Sasol fortalece sector empresarial local com programa de desenvolvimento para Mega-projectos

A Sasol, empresa com quase duas décadas de presença...

BAD disponibiliza USD 1 milhão de dólares para o programa MOZYWEB

Trata-se de um projecto com duração de três anos...

Para MPMEs: MozUp oferece Curso Online de Capacitacão Jurídica Empresarial

Segundo uma nota de imprensa enviada à nossa redacção,...