- Anúncio-spot_img

A ENI italiana vai começar a produzir GNL no país a partir de 2022

Análise de Mercado

O gigante italiano da energia ENI vai começar a bombear gás natural liquefeito ao largo da costa do norte de Moçambique no primeiro semestre do próximo ano, anunciou o governo.

O anúncio veio depois do chefe executivo da ENI, Claudio Descalzi, ter se encontrado com o presidente Filipe Nyusi em Maputo para discutir o projecto.

Segundo o Ministro dos Recursos Minerais e Energia Max Tonela, a perfuração offshore no projecto Coral Sul foi concluída na semana passada.

“Espera-se que a construção da plataforma seja finalizada este ano, pelo que as perspectivas são positivas de que, no final do primeiro semestre de 2022, Moçambique começará a produzir e exportar GNL”, disse Tonela.

Leia: Eni CEO Claudio Descalzi encontra-se com o Presidente da República de Moçambique Filipe Nyusi

O projecto ENI está localizado ao largo da província de Cabo Delgado, amortecendo-o da insurreição islamista de quatro anos que matou mais de 3.400 pessoas e deslocou cerca de 800.000 outras.

Em Março, militantes lançaram um ataque ao centro de gás e à cidade costeira de Palma, impedindo a construção de um projecto de gás natural liquefeito de 20 mil milhões de dólares liderado pelo grupo francês TotalEnergies.

Descalzi disse que o projecto ENI foi o primeiro “a produzir as grandes reservas de gás que descobrimos em Moçambique”.

Todo o gás no local será vendido à BP britânica.

- Anúncio-

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Anúncio-

Destaque

Presidente da ACIS incentiva as empresas a filiarem-se em associações

O Presidente da Associação de Comércio, Indústria e Serviços (ACIS) Luís Magaço Jr., encoraja os empresários a filiarem as...
- Anúncio-

More Articles Like This

- Advertisement -