Filipe Nyusi, procede com o lançamento da primeira pedra da Central Solar de Metoro, uma infraestrutura orçada em 56 milhões de dólares e que estará localizada na província de Cabo Delgado.

São acionistas da central a francesa Neoen (75%) e a Electricidade de Moçambique (25%), sendo que o financiamento do projecto é prestado pela Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), com um empréstimo de 40 milhões de dólares, e o remanescente pelo Governo. 

A infraestrutura, a ser construída em nove meses, terá capacidade para produção, a partir de painéis solares, de 41 megawatts (MWp), o equivalente ao consumo de 150 mil pessoas, e será conectada à subestação da Electricidade de Moçambique em Metoro, no distrito de Ancuabe, indica um documento de apresentação de projecto divulgado à comunicação social.

Segundo o documento de apresentação do projecto, após 25 anos a infraestrutura passa para a Eletricidade de Moçambique.

Estima-se que a central crie até 380 empregos na fase de construção e invista, pelo menos, 60 mil dólares anualmente em projectos para as comunidades locais. 

“Uma avaliação das necessidades e dinâmicas em Metoro e em Ancuabe foi realizada em 2016, e um Plano de Desenvolvimento Comunitário preliminar foi aprovado pelo Governo do Distrito de Ancuabe em junho de 2018, com um foco sobre a área da educação”, acrescenta o documento. 

A infraestrutura estará localizada a 90 quilómetros de Pemba, capital provincial de Cabo Delgado, no distrito de Ancuabe, a 150 metros da Estrada Nacional Número 1. 

FONTELUSA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui