Sexta-feira, Julho 19, 2024
spot_img

BNI “jura” que nunca usou fundos irregularmente

A acusação feita ao BNI chegou ao público com muita rapidez, com a massificação reforçada por partilhas do assunto pelas redes sociais digitais. A informação poderá ter criado desilusão a uma grande maioria que sempre viu o BNI como uma das instituições públicas íntegras do país.

Esgrimindo-se em explicações, num comunicado, o BNI afirmou que sempre operou em observância aos mais “elevados critérios de transparência, integridade e conformidade exigidos aos operadores no sector financeiro e que não tem como prática a manipulação ou violação das normas de exercício de gestão bancária”.

Igualmente, o BNI diz-se que está sujeito à regulação do Banco Central, enquanto supervisor das instituições financeiras e a um conjunto de auditorias internas e externas, que comprovam o cumprimento dos requisitos estabelecidos para o exercício da actividade bancária.

“Como banco de desenvolvimento e de investimento, detido totalmente pelo Estado, os gestores do BNI estão cientes e comprometidos com as suas responsabilidades, que consistem essencialmente na promoção do desenvolvimento socio-económico e sustentável para a melhoria de vida dos moçambicanos”, referiu-se.

No mesmo comunicado, o BNI diz que está aberto a partilhar informação e esclarecimentos sobre as suas linhas de financiamento, “de forma a repor a verdade”.

O BNI é um banco vocacionado ao financiamento de projectos inovadores e que contribuem para o processo de desenvolvimento sustentável de Moçambique e dinamização dos sectores empresariais.

 

Entrevistas Relacionadas

Empresários defendem ajustes no PAE para impulsionar economia moçambicana

O Pacote de Medidas de Aceleração Económica (PAE) foi...

Veja as implicações dos novos acordos de dívidas ocultas para Moçambique

O Fundo Monetário Internacional (FMI) revelou nesta Quarta-feira (17)...

FMI ajusta a previsão do crescimento da economia mundial para 3,3% em 2025

O Fundo Monetário Internacional (FMI) ajustou ligeiramente para cima...

FMI: Nada norteia atribuições de isenções fiscais em Moçambique

Alexis Meyer-Cirkel está de saída de Moçambique, onde esteve...