A Electricidade de Moçambique (EDM) espera investir 1.6 mil milhões de dólares no plano de negócio para os próximos cinco anos, mas a situação da empresa “não é boa”, disse recentemente uma fonte oficial.

“O investimento que nós prevemos para os próximos cinco anos, de capital definido, é de cerca de 1,6 mil milhões de dólares”, declarou António Nhassengo, director do Gabinete Estratégico e Desempenho da EDM.

António Nhassengo falava à comunicação social em Maputo, momentos após a apresentação do plano de negócios da empresa para os próximos cinco anos.

Entre outros objectivos, no plano da EDM para os próximos cinco anos, o destaque vai para a expansão da rede eléctrica, tendo em conta que do total de 416 sedes de postos administrativos do país, 135 ainda não têm energia eléctrica.

Apesar das projeções, segundo António Nhassengo, a situação da empresa “não é boa” e é necessário aumentar a tarifa de energia para reverter o cenário.

“Nós vamos continuar com resultados negativos se não houver aumento tarifário que nós prevemos para o exercício 2020-2024, que é de 10 %”, declarou António Nhassengo.

Relacionado  Kotra Maputo transmite a Feira Internacional de Energia Elétrica de Seul

Por outro lado, a EDM pede a redução da base de incidência do imposto sobre o valor acrescentado (IVA) nas requisições de energia , argumentando que a empresa faz um desconto de 62% quando vende a energia a clientes, mas paga 100% quando a compra aos produtores.

Em junho, a empresa pública alertou que iria perder cerca de 9 milhões de dólares com a redução da tarifa para as famílias mais desfavorecidas e pequenas e médias empresas, no âmbito das medidas adotadas pelo Governo para fazer face ao impacto da pandemia da covid-19.

FONTELUSA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui