- Anúncio-

Estudo revela que condições das empresas deterioraram-se em Agosto

Análise de Mercado

Relatório de um inquérito feito em Agosto aos gestores das empresas privadas no país revela que a economia do sector privado moçambicano sofreu um declínio no referido mês, devido às maiores restrições provocadas pelo aumento dos casos de Covid-19.

“A produção, novas encomendas e aquisições sofreram quedas abruptas desde Janeiro, enquanto os níveis de emprego subiram a um ritmo muito menos acentuado. Apesar do abrandamento para o nível mais baixo nos últimos cinco meses, a confiança nas empresas manteve-se forte devido à respectiva antecipação da melhoria das condições económicas”, refere o documento.

Produzido pelo Standard Bank, o inquérito tem como principal valor calculado, o Purchasing Managers’ Index (PMI). Determina que valores acima de 50,0 apontam para uma melhoria nas condições das empresas no mês anterior, ao passo que valores abaixo de 50,0 mostram uma deterioração. “Em Agosto, o PMI desceu para 47,9, o valor mais baixo dos últimos sete meses, uma queda do valor de 51,8 registado em Julho e a primeira vez que este valor se cifra abaixo dos 50,0 nos últimos cinco meses”, relata a fonte.

De acordo com o relatório do inquérito, às empresas inquiridas associaram predominantemente o declínio à restrição das medidas de combate à Covid-19, incluindo o recolher obrigatório, encerramento temporário das empresas e a proibição de ajuntamentos sociais. Estas medidas originaram uma forte queda da procura por parte dos clientes e um declínio na capacidade das empresas, com os índices de produção e de novas encomendas a registarem os valores mais baixos desde Janeiro.

“Os dados do sector indicam que as áreas do fabrico e dos serviços foram as mais afectadas, sendo que as empresas de agricultura também notaram uma quebra na procura. Em sentido contrário, o sector da construção foi o único a conhecer aumentos constantes em termos de produção e do número de novas encomendas”, detalha o documento.

O relatório do inquérito assinala ainda que, durante o mês de Agosto, os fornecedores praticaram preços mais baixos, com a reduzida procura de meios de produção, o que resultou na primeira descida dos custos de aquisição desde Novembro de 2020.

Relata ainda que os custos com pessoal também sofreram uma redução no período do último inquérito. Como resultado, o aumento geral dos custos dos meios de produção abrandou para o nível mais baixo dos últimos três meses, com a pressão ascendente a dever-se maioritariamente ao aumento dos preços do transporte.

Apesar da perda acentuada do impulso no mês de Agosto, a nossa fonte assegura que as empresas continuam a apostar na mão-de-obra, embora a taxa de criação de emprego tenha suavizado consideravelmente desde Julho. Assegura ainda que os empresários permanecem confiantes de que a produção irá voltar a crescer nos próximos 12 meses, pois, vários gestores entrevistados acreditam que as interrupções causadas pelas restrições da Covid-19 serão de curta duração.

O PMI do Standard Bank Moçambique é compilado a partir das respostas aos questionários enviados aos directores de compras de um painel de cerca de 400 empresas do sector privado. O painel é estratificado por sector específico e dimensão das empresas em termos de número de colaboradores, com base nas contribuições para o Produto Interno Bruto (PIB). Os sectores abrangidos pelo inquérito incluem a agricultura, a mineração, o sector manufactureiro, a construção, o comércio por grosso, o comércio a retalho e os serviços.

- Anúncio-

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Anúncio-

Destaque

Presidente da ACIS incentiva as empresas a filiarem-se em associações

O Presidente da Associação de Comércio, Indústria e Serviços (ACIS) Luís Magaço Jr., encoraja os empresários a filiarem as...
- Anúncio-

More Articles Like This

- Advertisement -