Moçambique assume oficialmente, a partir de hoje,  a liderança do grupo focal da Associação de Fundos de Manutenção em África (ARMFA), com a perspectiva de promover o desenvolvimento de corredores rodoviários regionais.

Assim, o país vai coordenar o grupo regional, através do fundo de estradas, que tem atualmente Angelo Macuacua como presidente do conselho de administração. A cerimónia de entrega de pastas está marcada para amanhã, em Lusaka, capital da Zâmbia, país que vinha liderando o grupo nos últimos dois anos.

Macuácua disse que o país vai defender a promoção de corredores regionais, como forma de minimizar o actual cenário em que uma determinada estrada se apresenta em perfeitas condições de um lado e degradado, do outro da fronteira, dificultando a interação que se pretende ao nível da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), até do continente, no seu todo.

A ARMFA, conta com nove países da região e o foco da região e o foco da nova liderança é trazer o restante dos membros que ainda não estão filiados. 

Relacionado  Pay@ agregador de pagamento sul-africano expande-se para Moçambique

Como que a confirmar a importância da abordagem, da melhoria das estradas regionais e não só de um país, defendida por Moçambique, o Banco Mundial aprovou esta terça-feira 27.380 milhões de dólares para o financiamento de um projecto de conectividade entre Moçambique e Malawi, bem como a promoção do comércio.

Do valor disponibilizado, no país serão aplicados 110 milhões de dólares na melhoria de estradas secundárias e terciárias, para conectá-las ao Corredor de Nacala, para além da reabilitação de postos fronteiriços que ligam Moçambique e Malawi, Zâmbia e África do Sul. 

Espera-se que os fundos fiquem disponíveis por volta de outubro, altura que poderá se traçar o cronograma das atividades no terreno, No entanto, as ações preparatórias, como o estudo já estão avançadas, esclareceu Macuácua .

FONTEDiário econômico

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui