Segunda-feira, Maio 27, 2024
spot_img

Moçambique deverá ter crescimento de 4,5% em 2024, segundo Oxford Economics

A consultora Oxford Economics prevê que o crescimento económico de Moçambique abrande para 4,5% este ano, após ter registado um crescimento de 5% em 2023. Este abrandamento é atribuído à previsão de uma produção mais lenta de gás natural, com um aumento estimado de 2,5%.

De acordo com os analistas da Oxford Economics, apesar dos desafios enfrentados pelo país, como o ciclone Fredy e a violência em Cabo Delgado, a economia conseguiu avançar em 2023 devido ao aumento da produção offshore de gás natural liquefeito.

A consultoria britânica acredita que a petrolífera TotalEnergies regressará a Cabo Delgado ainda este semestre, mas alerta que a proximidade das eleições poderá aumentar os ataques e lançar uma nuvem sobre o processo eleitoral previsto para o final do ano.

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, expressou que a TotalEnergies já deveria ter retomado as operações em Cabo Delgado, considerando a decisão da França de alertar os cidadãos para não viajarem para certas áreas da província como uma “decisão diplomática”.

A Embaixada de França em Moçambique emitiu um apelo aos cidadãos franceses para evitarem deslocar-se às cidades de Mocímboa da Praia, Pemba e Palma, em Cabo Delgado, devido à ameaça terrorista e de sequestro nessas localidades.

A situação de segurança em Cabo Delgado continua a ser uma preocupação, especialmente com as recentes incursões rebeldes, o que levanta desafios para a retoma do projecto da TotalEnergies e para o ambiente eleitoral no final do ano.

Entrevistas Relacionadas

Emose obteve lucro de mais de 40 milhões de Meticais em 2023

O resultado líquido da Empresa Moçambicana de Seguros (Emose)...

INP considera movimento da Galp como rotineiro

O Instituto Nacional de Petróleo (INP) declarou na Quinta-feira,...

Vodacom Moçambique lança Fundação para impacto social

A Vodacom Moçambique fez o lançamento oficial da Fundação Vodacom Moçambique. A cerimónia...

Galp concluiu a venda da sua participação no projecto GNL

A Galp concluiu a venda de sua participação no...