IFC vai avaliar viabilidade de centrais solares

Segundo a empresa, o projecto estará localizado dentro da área de concessão de 25 000 hectares da Ncondezi na província de Tete, com três locais preferidos de potencial geração de 500MW, cada um já identificado.

De acordo com o portal energy-storage.news, que não esclarece ao certo qual será o tamanho da porção de armazenamento da bateria, a Ncondezi Energy acrescentou que o projecto também será capaz de aproveitar o trabalho de desenvolvimento existente, o que irá reduzir significativamente os custos de desenvolvimento e acelerar a entrega do projecto de armazenamento solar-plus.

“Isto significa que o projecto co-localizado poderia ser concluído e ligado à rede já em 2024”, afirmou a empresa. O estudo de viabilidade levará quatro meses e será conduzido pelo WSP Group Africa.

Para tal, o CEO da Ncondezi, Hanno Pengilly estima que o investimento do projecto varie entre 60 milhões a 65 milhões de dólares e as receitas poderão rondar entre 130 a 180 milhões de dólares ao longo de um período de 25 anos.

“Será feita a ligação à rede de Moçambique e serão procurados acordos de compra e venda com empresas tanto em Moçambique como no Pool de Energia da África Austral (SAPP), um mercado de electricidade transfronteiriço que compreende 13 países da África Austral”, avança a empresa.

A Ncondezi afirmou ter envolvido as autoridades governamentais moçambicanas relevantes ao longo de todo o projecto e que o processo de desenvolvimento recebeu o apoio prévio para lançar o estudo de viabilidade.

Contudo, a empresa energética revela que o projecto está alinhado com a estratégia de Moçambique para aumentar a disponibilidade de energia de forma sustentável e promover novos investimentos energéticos no sector privado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui