Sábado, Junho 15, 2024
spot_img

País demonstra sinais de economia estável nos próximos anos

Quem o diz é Miguel Joia, da a Associação Moçambicana de Conteúdo Local (AMCL), que se referiu, por exemplo, da possiblidade do regresso das operações da petrolífera francesa, TotalEnergies, na Área 1 da Bacia do Rovuma, península de Afungi, no distrito de Palma, em Cabo Delgado.

Para Miguel Joia, que falava à margem do encerramento da segunda edição da Conferência de Energia e Indústria (Energy&Industry Summit, em inglês), o país continua a demonstrar capacidade atractiva de investimento estrangeiro, facto que também anima às empresas nacionais.

A fonte disse que a conferência, por si só, descortinou o quão o sector privado e o Governo são importantes na busca de soluções face aos desafios trazidos pelos megaprojectos no território nacional.

“Esta conferência possiblitou a que as empresas nacionais tenham informações e instrumentos de formação, certificação, contactos empresariais com grandes parceiros de negócios. Siginifica que temos condições de continuarmos todos os próximos anos e sermos considerados o maior evento na área de indústria e gás em Moçambique”, expressou-se Miguel Joia.

Recorde-se que a edição deste ano teve a sua primeira fase nos dias 30 e 31 de Maio na província de Cabo Delgado. Sobre o facto, Joia disse que foi oportuno que evento tenha também acontecido naquele ponto de extremo norte do país, dada a importância da província para a economia nacional.

“De facto, a província precisa de elevar o espírito de crescimento no âmbito de petróleo e gás e o que vimos foi animador, a avaliar pela presenca massiva de dirigentes, líderes, executivos do sector privado e de investidores”, acrescentou.

Em termos de projecção de empresas nacionais no contexto internacional, Joia refere que o evento abriu portas para que estas participem em outros eventos similares no estrangeiro.

A fonte falava, por exemplo, da Exposição e Conferência Internacional de Petróleo da África Subsaariana (SAIPEC, sigla em inglês), promovida pela Associação de Tecnologia de Petróleo da Nigéria (PETAN), evento hospedado na cidade de Lagos.

Falando sobre a adesão de Moçambique à Agência Seguradora do Comércio em África, cuja Resolução foi, terça-feira, aprovada pelo Governo, Joia disse que a medida favorece muito ao empresariado nacional, uma vez que as empresas poderão ter garantias de pouco risco nos seus investimentos.

Agência Seguradora do Comércio em África oferece diferentes tipos de seguro, nomeadamente, seguro de Risco Politico Comercial, Risco Politico abrangente, Seguro de Investimento Directo Estrangeiro, Coberstura de Emprestimo do Projecto, Cobertura de Activos Moveis, Cobertura de Seguro de Crédito, incluido Chamada de Injusta de Titulos e Cartas de Credito “Standby”.

 

 

 

 

Entrevistas Relacionadas

Cenário Fiscal de Médio Prazo (2025-2027): Despesas públicas mantém pressão sobre as finanças públicas

O Produto das medidas em curso de consolidação orçamental...

Indicadores prudenciais e económico-financeiros da carteira móvel: M-Pesa, E-Mola e MKesh

O Banco de Moçambique (BdM) divulgou a avaliação dos...

Novo horário de trabalho proposto para Maputo visa descongestionar o trânsito

A cidade e província de Maputo poderão adoptar novos...

Moçambique responde ao GAFI com avaliação de ONGs: uma medida contra o financiamento ao terrorismo

O lançamento do relatório de avaliação de risco das...