Em resultado do investimento feito ao abrigo do programa Sustenta, a produção de arroz na actual campanha agrária deverá crescer 15%, diz o Ministro da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Celso Correia.

O Ministro observava aquando do início formal da colheita de arroz no distrito de Chongoene na província de Gaza na quinta-feira, que o consumo de arroz em Moçambique estava a crescer cerca de 8,5% ao ano, uma grande parte do qual importado a um custo de pelo menos 200 milhões de dólares americanos por ano.

“Infelizmente, há provas de que esta é uma das culturas utilizadas para extrair moeda estrangeira do país a preços sobrevalorizados, criando algum grau de dependência a nível nacional nas contas públicas”, disse.

Correia observou que o cultivo de arroz envolve mais de 100.000 produtores na sua cadeia de valor, principalmente nas províncias de Gaza, Zambézia e Sofala, e é estratégico para o desenvolvimento agrícola do país.

“O arroz tornou-se, de certa forma, a segunda cultura mais importante em Moçambique, depois do milho”, afirmou.

Neste contexto, foram feitos investimentos no nivelamento das terras, na assistência à produção, e na melhoria do acesso a sementes de qualidade, agroquímicos e outros insumos, a fim de melhorar a produtividade, juntamente com a reabilitação das infra-estruturas nas áreas irrigadas [regadios], incluindo a limpeza dos canais e a requalificação das estradas.

Celso Correia assinalou com satisfação que, em apenas seis meses, Chongoene tinha visto a produtividade média aumentar para seis toneladas por hectare, contra a média nacional de apenas uma tonelada.

Na província de Gaza, o ministro explicou que a área cultivada tinha aumentado cerca de 5.000 hectares, um factor que sustenta o crescimento.

Celso Correia indicou que os resultados registados em Gaza em termos de produtividade por hectare, e dada a garantia do mercado, tinham gerado 7.500 empregos seguros.

FONTEClub of Mozambique

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui