TREINAMENTO

O Absa Bank Moçambique está a preparar uma estratégia para o fortalecimento e sustentabilidade das Pequenas e Médias Empresas (PME) nacionais, com foco na retoma da actividade económica no período pós Covid-19, visando o fomento da economia local.

A informação foi revelada pelo Director da Banca de Retalho e Negócios do Banco, Pedro Carvalho, durante um programa televisivo, no qual afirmou que o Absa trabalha com várias instituições, incluindo entidades multilaterais, como o Banco Mundial, para encontrar modelos que permitam efectivamente o desenvolvimento da economia doméstica.

“Está totalmente provado, mesmo em economias de grande dimensão, que, quer a criação de emprego, quer a geração de renda de forma sustentável, passa por um segmento de PME forte e bastante desenvolvido”, disse.

Segundo o gestor, a pandemia fragilizou o modelo globalizado da economia que existia anteriormente, fortemente caracterizado por exportações e importações abrindo, dessa forma, uma janela de oportunidade para que o tecido empresarial moçambicano se foque na produção local.

“Vimos que as cadeias de fornecimento ficaram em risco, que naturalmente é mais fácil operarmos numa economia mais regional, contando com os nossos vizinhos mais próximos e com a capacidade da economia local”, afirmou.

Relacionado  Sistema de Segurança Social em Moçambique com 32 anos de existência

Carvalho refere que os bancos têm um papel importante na condução desse desenvolvimento económico, mas ressalta a necessidade de adopção de um modelo altamente colaborativo entre diversas entidades, para o alcance desse propósito.

“Nós temos que garantir que os agentes políticos, económicos e sociais trabalhem de forma articulada, evoluindo de um modelo que era altamente competitivo para um modelo que se quer agora colaborativo”, declarou.

Aliás, segundo Carvalho, a colaboração foi a palavra-chave identificada e reforçada pelo Absa Bank Moçambique no apoio prestado aos clientes, após a eclosão da pandemia.

“A forma de apoiarmos os nossos clientes é conhecê-los e colaborar com eles. É uma parceria e esta parceria tem que ser alargada ao governo, às entidades multilaterais, a todos os agentes da economia e aí, sem dúvida nenhuma, teremos uma plataforma para a retoma da economia moçambicana no mundo pós Covid”, explicou. 

Com o surgimento da pandemia, o Absa Bank Moçambique reforçou os os seus canais digitais e orientou o foco da sua actividade para o atendimento personalizado aos clientes. 

Relacionado  Banco Mundial disponibiliza 100 milhões de dólares para Cabo Delgado

Pedro Carvalho refuta a possibilidade de um retorno aos modelos anteriores.

“A Pandemia veio confirmar que o nosso modelo de banca relacional muito próximo dos clientes, focado em cada indivíduo ou empresa que trabalha com o Absa é algo que vai continuar, independentemente se é feito por canais presenciais, ou por canais digitais. A retoma da economia vai passar por continuarmos a ter uma oferta de produtos e serviços à medida de cada cliente e que lhe permita aproveitar as novas oportunidades”, frisou.

FONTEJornal Sugestão

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui