A moeda moçambicana, o metical, tem vindo a apreciar-se, significativamente, em relação ao dólar, mas economistas dizem que isso não tem nenhum benefício para a economia e muito menos para os moçambicanos, sobretudo porque não é sustentável a longo prazo.

O “Banco Central injectou muito dinheiro no mercado monetário, e face a essa oferta grande de dólares, o metical apreciou-se, mas isso não é uma opção sustentável, na medida em que a economia, ela própria, tem uma tendência para que o metical se desvalorize, porque as importações aumentam, as exportações diminuem e os investimentos externos baixam”, disse o economista João Mosca, entrevistado pela Voice of America (VoA).

Além disso, diz Mosca, “o crime das dívidas ocultas não está resolvido, a dívida com a China está a aumentar, o que faz com que os agentes económicos e parceiros internacionais não tenham confiança na economia moçambicana”.

A Inflação

A economista Leila Constantino diz que a apreciação do metical se deve ao facto de o Banco Central norte-americano ter injectado cerca de 2.2 trilhões de dólares, devido à pandemia da COVID-19, o que fez com algumas moedas se valorizassem, incluindo a moçambicana.

Relacionado  Conheça lista de alimentos cujos preços dispararam devido à crise global

Contudo, a economista sublinha que esta apreciação do metical não tem nenhum impacto na economia, porque neste momento, a inflação é alta, para além de que não tem qualquer sustentabilidade ao longo do tempo.

Aquela economista defende que o Banco de Moçambique deve implementar medidas assertivas para controlar a taxa de câmbio e asseguar que as suas medidas surtam efeito na economia nacional.

Possíveis Soluções 

“Quando, há alguns meses, o Banco de Moçambique aumentou as taxas directoras, principalmente a taxa mínima, o objectivo era controlar a inflação, mas até agora a inflação está alta”, realçou Leila.

Entretanto, o presidente da Confederação das Associações Económicas (CTA), Agostinho Vuma, enfatiza que mesmo com a apreciação do metical, Moçambique continua sem capacidade para comprar o dólar a 60 meticais por unidade.

Para Vuma, o mais importante, agora, é a redução das taxas de juro, dos custos de produção e aumento de investimentos, para fazer face ao défice da balança de pagamentos, uma vez que a valorização do metical face ao dólar, cria oportunidade para o Banco Central baixar as taxas de juro.

Relacionado  Empresas públicas insustentáveis serão reestruturadas

No seu entender, isso vai estimular os investimentos e a produção interna, para fazer face ao défice da conta corrente.

FONTEVoice of America

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui