Segunda-feira, Maio 20, 2024
spot_img

Apreciação do metical pode não ser sustentável

A moeda moçambicana, o metical, tem vindo a apreciar-se, significativamente, em relação ao dólar, mas economistas dizem que isso não tem nenhum benefício para a economia e muito menos para os moçambicanos, sobretudo porque não é sustentável a longo prazo.

O “Banco Central injectou muito dinheiro no mercado monetário, e face a essa oferta grande de dólares, o metical apreciou-se, mas isso não é uma opção sustentável, na medida em que a economia, ela própria, tem uma tendência para que o metical se desvalorize, porque as importações aumentam, as exportações diminuem e os investimentos externos baixam”, disse o economista João Mosca, entrevistado pela Voice of America (VoA).

Além disso, diz Mosca, “o crime das dívidas ocultas não está resolvido, a dívida com a China está a aumentar, o que faz com que os agentes económicos e parceiros internacionais não tenham confiança na economia moçambicana”.

A Inflação

A economista Leila Constantino diz que a apreciação do metical se deve ao facto de o Banco Central norte-americano ter injectado cerca de 2.2 trilhões de dólares, devido à pandemia da COVID-19, o que fez com algumas moedas se valorizassem, incluindo a moçambicana.

Contudo, a economista sublinha que esta apreciação do metical não tem nenhum impacto na economia, porque neste momento, a inflação é alta, para além de que não tem qualquer sustentabilidade ao longo do tempo.

Aquela economista defende que o Banco de Moçambique deve implementar medidas assertivas para controlar a taxa de câmbio e asseguar que as suas medidas surtam efeito na economia nacional.

Possíveis Soluções 

“Quando, há alguns meses, o Banco de Moçambique aumentou as taxas directoras, principalmente a taxa mínima, o objectivo era controlar a inflação, mas até agora a inflação está alta”, realçou Leila.

Entretanto, o presidente da Confederação das Associações Económicas (CTA), Agostinho Vuma, enfatiza que mesmo com a apreciação do metical, Moçambique continua sem capacidade para comprar o dólar a 60 meticais por unidade.

Para Vuma, o mais importante, agora, é a redução das taxas de juro, dos custos de produção e aumento de investimentos, para fazer face ao défice da balança de pagamentos, uma vez que a valorização do metical face ao dólar, cria oportunidade para o Banco Central baixar as taxas de juro.

No seu entender, isso vai estimular os investimentos e a produção interna, para fazer face ao défice da conta corrente.

Entrevistas Relacionadas

Delegações de 12 países participam na conferência empresarial CASP em Maputo

Empresários moçambicanos e estrangeiros reúnem-se desde a quarta-feira, em...

Receitas do Estado alcançaram 73 mil milhões de meticais no primeiro trimestre

As receitas correntes do Estado atingiram um aumento significativo...

Fundo Soberano já conta com 94 milhões de dólares

Estado aplica 94,2 milhões de dólares de receitas de...

Uma Nova Era para o M-Pesa: Salimo Abdula assume a Presidência do Conselho de Administração

A Vodafone M-Pesa celebra seus onze anos de existência...