Foi hoje, (17), eleito Boavida José Lopes Muhambe, para o cargo de presidente do Conselho de Administração da Hidroeléctrica Cahora Bassa (HCB),  em substituição de Pedro Couto.

O novo presidente é quadro da HCB tendo assumido até 2019, a função de director de aprovisionamento. O eleito é mestre em desenvolvimento internacional e licenciado em gestão empresarial, e acrescenta-se mais de 20 anos de experiencia na área de docência.

O novo PCA junta-se aos membros do Conselho de administração composto por, Moisés Machava, Abraão dos Santos Rafael, Rui Manuel Alfredo da Rocha, Nilton Sérgio Rebelo Trindade, Manuel Tomé e João Faria da Conceição.

Hidroeléctrica de Cahora Bassa

A Hidroeléctrica de Cahora Bassa S.A é uma empresa moçambicana com o mandato de explorar o aproveitamento hidroeléctrico da Barragem de Cahora Bassa desde Junho de 1975. Com a concretização da primeira fase Oferta Pública de Venda (OPV), em 2019, que consistiu na venda de 4% das acções, o Estado moçambicano passou a deter 85% do capital social, a REN 7,5%, os cidadãos, empresas e instituições moçambicanos 4% e a sociedade HCB 3,5% de acções próprias, prevendo-se a venda destas pela HCB em data ainda por determinar.

Relacionado  Inflação homóloga foi de 10,81% em Junho

A reversão, ocorrida em 27 de Novembro de 2007, propiciou a implementação de uma nova visão da Empresa que procurou conjugar os elementos que reproduzam as aspirações da sociedade em relação a HCB, e pode exigir, que seja o papel da Hidroeléctrica de Cahora Bassa como um dos mais importantes catalisadores do desenvolvimento nacional e impulsionadores da matriz energética nacional e regional.

A história da criação da HCB remonta desde 1956 com as primeiras visitas aos rápidos de Cahora Bassa. Contudo, é válido afirmar que, muito tempo antes, navegaram no Vale do Zambeze grandes exploradores dos quais podemos citar Levingston e Gago Coutinho.

Cahora Bassa começa a erguer-se em 1969 com adjudicação da obra da construção do empreendimento ao consórcio ZAMCO e só em 1975 é criada a Hidroeléctrica de Cahora Bassa, SARL. Cerca de 30 anos depois, acontece em Moçambique um evento marcante, a Reversão de Cahora Bassa para o Estado Moçambicano, passando este a deter 85% do capital accionista contra os anteriores 18% (veja actual estrutura accionista). Está época foi marcada pela frase proferida pelo então Presidente da República, Armando Emílio Guebuza: “CAHORA BASSA É NOSSA”.

Relacionado  Moçambique atinge inflação histórica em Março

FONTE: https://www.hcb.co.mz/pt-pt/sobre-nos/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui