Sábado, Junho 15, 2024
spot_img

CIN aposta na requalificação urbana e dá palco a artistas moçambicanos

A empresa, que este ano completa 50 anos em Moçambique, tem vindo a influenciar a forma como se olha para o espaço público, abraçando inspiradoras através da cor.

Depois de parcerias em projectos emblemáticos como o novo ‘Mercado do Frango e
Magumba’, o ‘Pintar pela Paz’ ou o ‘Bring Back Maputo’, a empresa associou-se também à
causa ambientalista, apoiando o ‘Muro da Biodiversidade’, no âmbito do projeto
“Preservação da Nossa Fauna”.

Uma iniciativa promovida em parceria com os Aeroportos de Moçambique, Conselho Municipal da Cidade de Maputo e Ministério da Terra e Ambiente, que tem como objectivo ser um espaço de sensibilização para a preservação da biodiversidade e combate à caça furtiva.

O ‘Muro da Biodiversidade’, que vai ser inaugurado na sexta-feira, dia 31 de Março, fica localizado
à saída do Aeroporto Internacional de Maputo, no Bairro de Mavalane, integrando
45 painéis com imagens de animais selvagens, muitos deles em risco de extensivo.

As pinturas permaneceram a cargo de duas equipes de artistas plásticos moçambicanos representadas por Mateus Sitole e Rachid Gutierrez.

A CIN contribuiu para a iniciativa doando todas as tintas e apoiando, ainda, no reboco e na
pintura de algumas casas no interior do Bairro de Mavalane, situado logo atrás do Muro.

Para além da mensagem de sensibilização que promove, todo aquele espaço transmite agora a mudança a que foi sujeito, refletindo também uma transformação do ponto de vista estético.

José Soares, Director Comercial das Tintas CIN em Moçambique, refere que “a aproximação à arquitectura, à arte e aos artistas locais, tem levado a CIN a optar por projectos emblemáticos na esfera social, simbolizando muito do que é a cultura moçambicana.

O ‘Muro da Biodiversidade é mais um desses exemplos”. “A cor certa pode transformar qualquer casa, qualquer edifício, qualquer espaço público, num lugar extraordinário,
influenciando a forma como nos sentimos e olhamos para esse mesmo espaço”, destaca
ainda o mesmo responsável.

Através de todos os seus projectos de responsabilidade social, a CIN escreve a sua própria
história, marcada pelo crescimento em Moçambique e pelo reconhecimento como marca responsável e de excelência.

Entrevistas Relacionadas

Cenário Fiscal de Médio Prazo (2025-2027): Despesas públicas mantém pressão sobre as finanças públicas

O Produto das medidas em curso de consolidação orçamental...

Moçambique responde ao GAFI com avaliação de ONGs: uma medida contra o financiamento ao terrorismo

O lançamento do relatório de avaliação de risco das...

Presidente da República apresentará último estado da nação em sessão Plenária de Julho

A Assembleia da República de Moçambique está programada para...

Banco de Moçambique reduz taxa de juro para 15%

O Banco de Moçambique anunciou a redução da sua...