O novo horário de abertura dos restaurantes que o governo moçambicano impôs como parte da sua batalha para restringir a propagação da Covid-19, não agradou os seus proprietários, e alguns deles reagiram suspendendo os contratos de trabalho do seu pessoal.

Anteriormente, os restaurantes eram autorizados a abrir das 06h00 às 20h00, mas ao abrigo das novas medidas, anunciadas pelo Presidente Filipe Nyusi na quinta-feira, todos os restaurantes devem fechar até às 18h00.

A justificação para esta mudança é que permitirá aos trabalhadores dos restaurantes regressarem a casa antes do início do recolher obrigatório às 21.00, e impedirá a concentração de multidões em restaurantes que poderiam proporcionar um ambiente favorável à propagação do vírus.

Mas os proprietários de restaurantes entrevistados pela estação de televisão independente STV protestam que o seu horário mais ocupado é precisamente entre as 18.00 e as 20.00 horas. Afirmam que é quando muitos clientes costumavam jantar fora, mas ninguém irá a um restaurante para jantar antes das 18.00.

Argumentam que a nova hora de encerramento levará a uma queda nas suas receitas, e poderá eventualmente forçá-los a fechar completamente as suas portas. Alguns dos entrevistados pelo jornal dizem que já conhecem casos em que os contratos do pessoal do restaurante estão a ser suspensos.

“Não sabemos quanto tempo podemos suportar esta situação”, disse um proprietário de restaurante, Lino Machava, que temia que a situação se pudesse agravar,

Outro, Nélio Manuel, sugeriu que os restaurantes poderiam ter de “reinventar-se”, e mudar para as entregas de refeições ao domicílio.

 

FONTEClub of Mozambique

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui