Sexta-feira, Julho 12, 2024
spot_img

 Demanda por petróleo pode atingir novos recordes em 2024, prevê EIA

A Administração de Informações sobre Energia dos Estados Unidos (EIA) revelou na passada Terça-Feira, 11/06, que tanto a produção de petróleo dos Estados Unidos quanto a demanda global de petróleo estão projectadas para alcançar recordes maiores este ano do que as previsões anteriores.

A agência agora espera que a produção de petróleo dos EUA cresça aproximadamente 310.000 barris por dia (bpd) para 13,24 milhões de bpd em 2024, um aumento de cerca de 40.000 bpd em relação à previsão anterior em Maio. Para o próximo ano, a produção dos EUA é estimada em cerca de 13,71 milhões de bpd, ligeiramente abaixo da previsão anterior de 13,73 milhões de bpd.

Além disso, a demanda global de petróleo este ano também deve superar as estimativas anteriores, atingindo máximos históricos, segundo as perspectivas energéticas a curto prazo da EIA de Junho.

O consumo mundial de petróleo bruto e combustíveis líquidos deverá aumentar em 1,1 milhão de bpd para 103 milhões de bpd em 2024, comparado com uma previsão anterior de cerca de 102,8 milhões de bpd. Para o próximo ano, a previsão é de uma demanda global de 104,5 milhões de bpd, ligeiramente acima da previsão anterior de 104,3 milhões de bpd.

Apesar das preocupações recentes com a desaceleração do consumo, as revisões para cima do crescimento da demanda tornaram o relatório da EIA modestamente positivo para os mercados de petróleo, de acordo com o analista do UBS, Giovanni Staunovo.

Staunovo observou também que a agência reduziu suas previsões para a produção mundial de petróleo para este ano, agora estimada em cerca de 102,6 milhões de bpd, em comparação com a previsão anterior de 102,8 milhões de bpd em Maio. Essa revisão foi atribuída aos planos da OPEP+ de aumentar a produção a partir do quarto trimestre, enquanto a EIA esperava um avanço mais precoce por parte do grupo de produtores.

A expectativa de um aumento mais lento nos suprimentos da OPEP+ deve resultar em uma redução nos estoques globais de petróleo durante o primeiro trimestre do próximo ano, potencialmente impulsionando os preços do petróleo para cima, afirmou a EIA.

Entrevistas Relacionadas

Moçambique recebe investimento de $179 milhões dos EUA para energia renovável

Os Estados Unidos da América, por meio da US...

ENH certifica mais empresas para indústria do petróleo e gás

A Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH), através do projecto...

Moçambique e Brasil firmam acordo para impulsionar biocombustíveis e desenvolvimento económico

Durante o Fórum Biodiesel realizado esta semana em São...

Ministério dos Recursos Minerais e Energia propõe uso interno do gás da Bacia do Rovuma para impulsionar outros sectores

Durante um encontro com representantes do sector privado, o...