Sábado, Junho 15, 2024
spot_img

Galp concluiu a venda da sua participação no projecto GNL

A Galp concluiu a venda de sua participação no projecto de GNL (Gás Natural Liquefeito) em Moçambique por 650 milhões de dólares, marcando uma mudança significativa na dinâmica do sector energético na região. Esta transacção, que está sujeita as aprovações regulatórias, representa um marco importante tanto para a Galp quanto para os futuros rumos do projecto na Área 4 da Bacia do Rovuma.

O Ministério dos Recursos Minerais e Energia (MIREME) confirmou a iminente alteração dos parceiros da Área 4, onde o projecto Coral Sul FLNG é implementado pelas concessionárias lideradas pela Mozambique Rovuma Venture, uma sociedade detida pela Eni, ExxonMobil e China National Petroleum Corporation. A Galp Energia, detentora de 10% de interesse participativo através da Galp Energia Rovuma B.V., está finalizando um acordo para vender seus activos à petrolífera dos Emirados Árabes Unidos, Abu Dhabi National Oil Company (ADNOC).

A venda dos activos pela Galp Energia foi justificada como parte de sua “estratégia disciplinada de investimento”, permitindo à empresa evitar compromissos adicionais em Moçambique em um momento em que tem outros encargos em geografias como Brasil e Namíbia. A decisão destaca a importância da avaliação estratégica contínua das empresas no contexto de investimentos globais e prioridades comerciais.

Desde o início dos investimentos em Moçambique em 2007, a Galp tem sido parte integrante do projecto, assinando um acordo com a Eni e a Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH) para explorar a Área 4, que possui profundidades de água consideráveis, alcançando até 2600 metros. Este projecto, com uma área superior a 13 mil metros quadrados, é reconhecido como um dos mais promissores do mundo na produção de gás natural.

A venda da participação da Galp Energia neste projecto tem implicações tanto para a empresa quanto para o desenvolvimento do sector de energia em Moçambique. Além disso, destaca o interesse contínuo de investidores internacionais em projectos de gás natural na região, apesar dos desafios e incertezas associados ao ambiente operacional. Este evento sublinha a necessidade de flexibilidade e adaptação das empresas às condições em mudança no mercado global de energia.

Entrevistas Relacionadas

Indicadores prudenciais e económico-financeiros da carteira móvel: M-Pesa, E-Mola e MKesh

O Banco de Moçambique (BdM) divulgou a avaliação dos...

Novo horário de trabalho proposto para Maputo visa descongestionar o trânsito

A cidade e província de Maputo poderão adoptar novos...

Bushfire Festival 2024: Celebrando a música africana

O MTN Bushfire Festival de 2024, realizado no Reino...

Bravantic anuncia parceria estratégica com a CCIFM

A Bravantic, anuncia uma parceria estratégica com a Câmara...