O Indicador de Clima Económico o terceiro trimestre de 2020 com o valor mais baixo desde que há registo, de 2004 em diante, anunciou o INE.

Indicador de Clima Económico (ICE) terminou o terceiro trimestre de 2020 com o valor mais baixo desde que há registo, de 2004 em diante, recentemente o Instituto Nacional de Estatística (INE).

“O Indicador do Clima Económico (ICE) prolongou a tendência decrescente que vem registando desde o primeiro trimestre de 2020, tendo o respectivo saldo atingido o nível mais baixo da respectiva série temporal”, explica o INE no boletim dos Indicadores de Confiança e de Clima Económico relativo a setembro.

Apesar de o documento não fazer referência à covid-19, os dados reflectem o impacto da pandemia.

“A conjuntura desfavorável deveu-se, tal como no segundo trimestre, à deterioração das expectativas de emprego e da procura que vem diminuindo pelo terceiro trimestre consecutivo”, lê-se no boletim. 

Todavia, “ao nível mensal, o indicador mostrou sinais de recuperação entre os meses de agosto e setembro, mas não em magnitude suficiente para inverter o seu sentido” – o ICE fixou-se em 78,1 pontos em setembro, contra 76,6 em agosto e o mínimo histórico foi registado em julho com 74,8. O valor máximo do ICE foi registado em fevereiro de 2015 com 104,1 pontos.

Relacionado  Revisão da Estratégia Nacional de Desenvolvimento poderá estar pronta até Maio de 2022

Os indicadores de Confiança e de Clima Económico constituem uma publicação mensal sobre a conjuntura económica, compilada com base num inquérito de conjuntura realizado também todos os meses pelo INE às empresas do sector não financeiro.

FONTELUSA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui