Sexta-feira, Julho 12, 2024
spot_img

Indicadores prudenciais e económico-financeiros da carteira móvel: M-Pesa, E-Mola e MKesh

O Banco de Moçambique (BdM) divulgou a avaliação dos indicadores prudenciais financeiros das principais carteiras móveis no país: M-Pesa, E-Mola e MKesh. A análise apresenta uma visão detalhada da capitalização, solvabilidade, liquidez, custos operacionais e rendibilidade do património líquido dessas empresas.

O M-Pesa mostra-se moderadamente capitalizado com um índice de capitalização de 42,67%, indicando a necessidade de monitoramento para garantir a capacidade de absorver perdas inesperadas. O índice de solvabilidade de 108,67% revela que a empresa é solvente e apresenta um baixo risco de inadimplência. Além disso, o índice de liquidez de 95,43% sugere excelente capacidade de cumprir obrigações de curto prazo. A M-Pesa também demonstra eficiência na gestão de custos operacionais com um rácio de 25,60%, e alta lucratividade, refletida em uma rendibilidade do patrimônio líquido (ROE) de 21,91%, proporcionando um bom retorno sobre o investimento dos acionistas.

Em contrapartida, o E-Mola enfrenta desafios significativos. Com um índice de capitalização de apenas 0,05%, a empresa está severamente subcapitalizada e apresenta alto risco de insolvência. O índice de solvabilidade de 0,26% confirma este risco elevado de inadimplência. Embora a liquidez esteja em um nível razoável, com um índice de 84,59%, é crucial que o E-Mola monitore de perto sua capacidade de atender às obrigações de curto prazo. Os custos operacionais relativamente altos, com um rácio de 40,40%, indicam a necessidade de reduzir despesas para melhorar a eficiência. Um valor de ROE extremamente alto, de 7981,79%, sugere um possível erro na contabilização dos resultados ou na apuração do património líquido, necessitando de uma revisão dos relatórios financeiros para garantir a precisão dos dados.

O MKesh, por sua vez, está bem capitalizado, com um índice de capitalização de 115,15%, indicando um baixo risco de insolvência. No entanto, a empresa enfrenta um alto risco de inadimplência, como indicado pelo índice de solvabilidade negativo de -83,80%. A liquidez é moderada, com um índice de 34,04%, e a empresa deve tomar medidas para garantir a capacidade de atender às obrigações de curto prazo.

Os indicadores prudenciais e económico-financeiros do BdM revelam diferentes desafios e pontos fortes para M-Pesa, E-Mola e MKesh. Enquanto a M-Pesa se posiciona bem em termos de solvabilidade e liquidez, o E-Mola e o MKesh enfrentam desafios significativos, especialmente em termos de solvabilidade e capitalização. Medidas correctivas são necessárias para assegurar a estabilidade financeira dessas empresas no futuro.

Entrevistas Relacionadas

CMM Quer cooperar regionalmente na Indústria Mineira

O presidente do Conselho de Administração da Câmara de Minas...

Moçambique participa no Festival Standard Bank Luju Food & Lifestyle 2024

Moçambique marcará presença no Festival Standard Bank Luju Food...

CTA afirma não ter sido notificada sobre apreensão da sua sede

A Confederação Moçambicana das Associações Económicas (CTA) alega que...

Novo horário de trabalho proposto para Maputo visa descongestionar o trânsito

A cidade e província de Maputo poderão adoptar novos...