Quinta-feira, Julho 18, 2024
spot_img

Moçambique e Brasil firmam acordo para impulsionar biocombustíveis e desenvolvimento económico

Durante o Fórum Biodiesel realizado esta semana em São Paulo, Brasil, Moçambique e Brasil deram um passo significativo no sentido do desenvolvimento conjunto de biocombustíveis ao assinarem um memorando de entendimento (MoU). O evento, centrado no tema “Tecnologia e Inovação”, foi descrito como um marco importante na cooperação entre os dois países.

O MoU foi formalizado entre a União Brasileira dos Produtores de Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio) e o Gabinete do Pacote de Estímulo Económico (PAE) de Moçambique, representado por João Macaringue, conforme divulgado pelo Further Africa. Este acordo reforça a medida 10 do pacote do país, que estabelece a obrigatoriedade da mistura de combustíveis importados com biocombustíveis.

Com o Brasil liderando o mercado mundial de biocombustíveis, sustentado por vastos recursos agrícolas e políticas governamentais favoráveis, a parceria entre os dois países é estratégica. O Brasil se destaca como principal produtor global de etanol e biodiesel, beneficiando-se de tecnologia avançada, elevados investimentos em pesquisa e desenvolvimento, e uma forte procura interna e externa.

Moçambique, com condições climáticas, geográficas e de uso da terra semelhantes às do Brasil, é considerado um parceiro ideal para essa iniciativa. A parceria visa promover o desenvolvimento e a adoção de biocombustíveis, alinhando-se com as metas de transição energética de Moçambique apresentadas na COP 28.

Prevê-se que o MoU atraia investimentos substanciais do Brasil para Moçambique, impulsionando a pesquisa, o desenvolvimento e a capacidade produtiva no setor dos biocombustíveis. Este influxo de capital representa uma oportunidade promissora para investidores, potencialmente aumentando a lucratividade das empresas de biocombustíveis e valorizando as suas ações. Além disso, o acordo deverá criar empregos em Moçambique, especialmente na indústria de biocombustíveis, com o suporte e a expertise do setor privado brasileiro. A expansão de fábricas e instalações exigirá mão-de-obra qualificada, impulsionando o crescimento económico nas áreas envolvidas.

Entrevistas Relacionadas

TotalEnergies assina acordo de segurança com empresa ruandesa para projecto em Cabo Delgado

Uma empresa de segurança apoiada pelo partido no poder...

Moçambique recebe investimento de $179 milhões dos EUA para energia renovável

Os Estados Unidos da América, por meio da US...

ENH certifica mais empresas para indústria do petróleo e gás

A Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH), através do projecto...

 Demanda por petróleo pode atingir novos recordes em 2024, prevê EIA

A Administração de Informações sobre Energia dos Estados Unidos...