- Anúncio-spot_img

Moçambique pretende vender maior parte da barragem hidroeléctrica Mphanda Nkuwa

Análise de Mercado

Moçambique vai vender a maior parte dos previstos 2,4 mil milhões de dólares da central hidroeléctrica de Mphanda Nkuwa que será uma das maiores da África Austral, segundo Carlos Yum, o director responsável pelo projecto.

O governo vai emitir um pedido de propostas este ano, e levará até quatro meses para seleccionar o vencedor e mais seis semanas para negociar o acordo de desenvolvimento conjunto, disse Yum numa entrevista.. O objectivo é atingir o encerramento financeiro até 2024 nas instalações de 1500-MW e uma linha de transmissão associada que poderá aumentar o custo total do projecto para até 4,4 mil milhões de dólares, disse ele.

Mphanda Nkuwa estará a cerca de 60 km a jusante do rio Zambeze a partir da barragem hidroeléctrica de Cahora Bassa que tem a capacidade de gerar 2 075 MW de potência. Moçambique vende a maior parte da electricidade dessa barragem à vizinha África do Sul, onde há mais de uma década que se verificam carências.

Para além de exportar energia, o novo projecto irá vender electricidade aos moçambicanos, disse Yum. Cerca de um terço dos moçambicanos tem acesso à energia, e o Presidente Filipe Nyusi planeia aumentá-la para 100% até ao final da década.

O comissionamento do projecto está previsto para 2030, disse Yum. Synergy Consulting Infrastructure and Financial Advisory Services, com sede em Reston, Virginia, é o consultor de transacções e Baker McKenzie o consultor jurídico, juntamente com HRA Advogados moçambicanos sediados em Maputo.

A barragem será o mais recente projecto de energia multibilionário de Moçambique. A TotalEnergies está a desenvolver um plano de 20 biliões de dólares para exportar gás natural liquefeito de reservas submarinas no extremo norte do país, embora o projecto tenha estagnado este ano devido a uma insurreição ligada ao Estado islâmico.

A estrutura accionista do novo projecto incluirá a Hidroeléctrica de Cahora Bassa, controlada pelo Estado, proprietária da central hidroeléctrica existente a montante, e a Electricidade de Moçambique EP, a empresa de electricidade. Enquanto a venda de uma participação maioritária na nova barragem irá angariar parte do financiamento, o governo irá também procurar financiamento junto de mutuantes multilaterais e bilaterais, bem como de bancos comerciais, disse Yum.

O novo investidor já deveria possuir e operar projectos semelhantes de dimensão comparável, afirmou.

FonteNews24
- Anúncio-

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Anúncio-

Destaque

Presidente da ACIS incentiva as empresas a filiarem-se em associações

O Presidente da Associação de Comércio, Indústria e Serviços (ACIS) Luís Magaço Jr., encoraja os empresários a filiarem as...
- Anúncio-

More Articles Like This

- Advertisement -