Segunda-feira, Abril 15, 2024
spot_img

Moçambique vai negociar para continuar a explorar gás e carvão

O Primeiro-Ministro, Carlos Agostinho do Rosário, disse, em Glasgow, que Moçambique vai negociar para continuar a explorar o gás e carvão, de modo a usar este recurso para garantir a transição energética.

Segundo Carlos Agostinho do Rosário, o país vai, por um lado, negociar para que continue a explorar o gás natural e, por outro lado, buscar financiamento e tecnologias para que a exploração de carvão mineral em Tete não pare devido aos compromissos ambientais.

Para o Primeiro-Ministro, o gás natural faz parte da lista das energias fósseis, ou seja, prejudiciais ao meio ambiente e o mundo deve parar a sua exploração no âmbito da transição energética acordada em Paris em 2015.

Moçambique assumiu fazer a transição energética, entretanto tem nos projectos de exploração do mesmo gás natural em Cabo Delgado uma das principais esperanças de desenvolvimento, aliadas a investimentos bilionários.

Carlos Agostinho do Rosário, Primeiro-Ministro, explica como o país pretende gerir a situação. “Que não façamos a transição para energias limpas em prejuízo do processo do desenvolvimento em curso. É o que deixamos claro mesmo na nossa intervenção no plenário e que o gás possa ser usado como energia de transição, enquanto não tivermos financiamento e, sobretudo, tecnologias para massificarmos os projectos energéticos, eólicos, hídricos e solares”,

Se o gás não é uma energia limpa, pior é o carvão mineral. Em Glasgow negoceia-se para que os países desenvolvidos parem de usar carvão até 2030 e os países em desenvolvimento até 2040. Será que o país vai parar de explorar carvão, depois do anúncio da Vale-Moçambique de que vai abandonar a Mina de Moatize em Dezembro deste ano?

Em relação à questão, Carlos Agostinho do Rosário diz que “estamos aqui para negociar para que isto não aconteça. Quando nós dizemos que queremos energia, é para evitarmos exactamente esta situação e usar essas fontes de uma forma menos poluente. Assim, eles devem dar-nos dinheiro para adaptarmos essas fontes”.

Em 2015, no Acordo de Paris, os países mais industrializados responsáveis por 80 por cento da poluição ambiental assumiram o compromisso de disponibilizar, a partir de 2020, 100 biliões de dólares por ano para financiar acções climáticas nos países em desenvolvimento e mais vulneráveis ao impacto das mudanças climáticas, como Moçambique. Carlos Agostinho do Rosário fala da estratégia do país para captar esses recursos.

“Quanto mais tivermos esses planos mais claros, mais facilmente podemos fazer pressão. O instrumento que apresentamos é claro e eu senti os nossos parceiros a saudarem a qualidade e a clareza do plano.”

spot_img

Próximos Eventos

Partilhe:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Notícias Relacionadas

Kenmare Resources prepara-se para aumento na produção após queda no primeiro trimestre

A Kenmare Resources, empresa que explora a mina de...

Lucro da Kenmare cai devido ao mercado mais fraco e aos desafios operacionais

O produtor de titânio e zircão listado na bolsa...

Moçambique enfrenta disputa internacional por licença mineira

Moçambique está no centro de uma batalha internacional devido...

UNIDO Capacita PMEs em matérias de conformidade para aumentar acesso ao comércio exterior

Decorreu esta quinta-feira (07), na Cidade de Maputo, uma...

Notícias e Eventos

Artigos mais recentes

AMOMIF: Procedimentos incorrectos nas discussões sobre salário mínimo prejudicam IMF

A AMOMIF (Associação Moçambicana de Operadores de Microfinanças) vai participar nas negociações relativas à concertação social e fixação de salário mínimo, que iniciaram, sexta-feira,...

Japão e SAPP firmam parceria para desenvolver energias renováveis na África Austral

A Agência Japonesa de Cooperação Internacional (JICA) e o...

Mono e Mastercard firmam parceria para revolucionar pagamentos digitais em África

A Mono Technologies Nigeria Limited, líder em infra-estrutura bancária...

Rand sul-africano se fortalece antes de dados de inflação dos EUA

O rand sul-africano fortaleceu-se à frente dos dados de...

Parceria entre LAM e TAAG amplia voos entre Moçambique e Angola

A parceria entre as instituições de aviação moçambicana e...

Kenmare Resources prepara-se para aumento na produção após queda no primeiro trimestre

A Kenmare Resources, empresa que explora a mina de...

Desenvolvimentos recentes na economia doméstica e perspectivas a curto prazo

O relatório divulgado pelo Banco de Moçambique, mostra os...