Sexta-feira, Julho 19, 2024
spot_img

OIM e Governo realizam consulta de alto nível em Cabo Delgado

O objetivo das consultas era compartilhar e alinhar as prioridades estratégicas para o futuro, especialmente para o próximo ano, bem como identificar oportunidades adicionais de colaboração na prestação de assistência humanitária, esforços de recuperação e reconstrução, bem como abordar as causas de conflito e deslocamento e promoção de soluções para Pessoas Deslocadas Internamente (IDPs) no norte de Moçambique.

As consultas são um componente chave dos esforços da OIM para desenvolver e implementar estratégias em estreita colaboração e apoio do governo, garantindo que os programas estejam alinhados com as prioridades do país.

As consultas em Pemba decorreram entre uma delegação da Equipa de Gestão Sénior da OIM em Moçambique, chefiada pela Chefe da Missão da OIM, Dra. Laura Tomm-Bonde, e uma delegação do Governo em Cabo Delgado, composta por delegados do Secretário de Cabo Delgado dos Gabinetes de Estado e do Governador, a Agência para o Desenvolvimento Integrado do Norte de Moçambique (ADIN), a Polícia da República de Moçambique (PRM), o Serviço Nacional de Migração de Moçambique (SENAMI), o Instituto Nacional de Gestão do Risco de Calamidades (INGD) e o Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC), bem como vários administradores distritais e directores provinciais de diferentes departamentos governamentais, bem como da Câmara Municipal de Pemba.

Tanto o Governo como a OIM apresentaram uma visão geral dos seus planos estratégicos, necessidades avaliadas e perspectivas para o próximo ano, seguidas de uma discussão frutífera sobre como alinhar ainda mais as actividades e programação para responder às necessidades das pessoas no norte de Moçambique.

Nos últimos cinco anos, a OIM implementou uma assistência abrangente e multissetorial em resposta à crise complexa em curso no norte de Moçambique, que viu o deslocamento de mais de 1 milhão de pessoas. “A OIM está empenhada em apoiar o Governo de Moçambique, fornecendo uma resposta abrangente e inclusiva às comunidades afetadas pelo deslocamento, ao mesmo tempo em que estabelece as bases para soluções sustentáveis ​​para a reconstrução e desenvolvimento de Cabo Delgado”, disse a Dra. Laura Tomm- Bonde, Chefe da Missão da OIM em Moçambique. “Só através de uma forte colaboração, coerência e complementaridade podemos enfrentar os desafios estruturais que a província enfrenta”, acrescentou.

“A reconstrução requer compromisso coletivo; exige integração e coesão social das pessoas afetadas e compreensão das necessidades da população; identificar com precisão os grupos populacionais em movimento, suas motivações, seus trânsitos e pontos de concentração. Tudo isto requer um trabalho coordenado, e saudamos a proposta da OIM de alinhamento estratégico e reforço das instituições na gestão dos movimentos forçados de população”, afirmou SE Valige Tauabo, Governador de Cabo Delgado.

As consultas contribuirão para o compromisso da OIM de acelerar a programação do Nexus Humanitário-Desenvolvimento-Paz (HDPN), bem como para a implementação das estratégias do Governo de Moçambique, como o Plano de Reconstrução de Cabo Delgado (PRCD 2020-2024), a Resiliência do Norte e Programa de Desenvolvimento Integrado (PREDIN), bem como o Plano Quinquenal do Governo 2020–2024, a Política e Estratégia de Gestão de Deslocamento Interno (PEGDI) e a Estratégia Nacional de Desenvolvimento 2015–2035, além de outras políticas e programas setoriais relevantes.

Entrevistas Relacionadas

Empresários defendem ajustes no PAE para impulsionar economia moçambicana

O Pacote de Medidas de Aceleração Económica (PAE) foi...

Veja as implicações dos novos acordos de dívidas ocultas para Moçambique

O Fundo Monetário Internacional (FMI) revelou nesta Quarta-feira (17)...

FMI ajusta a previsão do crescimento da economia mundial para 3,3% em 2025

O Fundo Monetário Internacional (FMI) ajustou ligeiramente para cima...

BdM: Dinheiro a circular aumenta para 62,7 Mil Milhões de Meticais em Maio

O dinheiro físico a circular em Moçambique aumentou 8,5% em...