A Assembleia Municipal de Maputo votou na sexta-feira para autorizar um aumento de 20 a 25 por cento nas tarifas dos autocarros na cidade.

O Conselho Municipal tinha anunciado em Novembro que as tarifas iriam aumentar, mas nenhum aumento de tarifas entraria em vigor sem a aprovação da assembleia municipal eleita.

As tarifas, tanto para autocarros como para mini-autocarros, irão aumentar de 10 meticais (cerca de 16 cêntimos) para 12 meticais, um aumento de 20 por cento, para distâncias até 10 quilómetros. Para distâncias mais longas, a tarifa aumenta 25 por cento, de 12 para 15 meticais.

Os operadores de transportes têm vindo a exigir um aumento da tarifa, alegando que sem um aumento não podem operar com lucro, particularmente após o aumento dos preços dos combustíveis no final de Outubro. O preço do gasóleo utilizado pela maioria dos operadores de transporte de passageiros subiu de 57,45 para 61,71 meticais por litro – um aumento de 7,4 por cento, muito inferior aos aumentos tarifários.

Os operadores dizem que não se trata apenas de combustível, e afirmam que os preços dos pneus, peças sobressalentes e manutenção, aumentaram substancialmente desde 2015, a última vez que um aumento tarifário foi autorizado.

O aumento da tarifa foi autorizado pela Assembleia, tendo apenas os deputados do partido governante Frelimo votado a favor. Os membros de ambos os partidos da oposição, Renamo e Movimento Democrático de Moçambique (MDM), votaram contra.

O porta-voz da Assembleia, Edgar Muchanga, prometeu que serão tomadas medidas contra operadores de transporte desonestos, particularmente contra a prática de encurtar as rotas, em que os passageiros são obrigados a apanhar dois autocarros para uma rota que deveria ser coberta por um. Os autocarros também serão obrigados a respeitar os horários, e a tratar os passageiros correctamente. Muchanga acrescentou.

As novas tarifas entrarão em vigor a 2 de Janeiro.

FONTEClub of Mozambique

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui