Uma fábrica de cimento com capacidade de produzir dois milhões de toneladas por ano foi inaugurada pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, na província de Maputo. A nova infraestrutura vai reduzir a importação de clínquer, principal matéria-prima na produção do cimento.

O PR defende que a estrutura será sobremaneira benéfica para a área em que actua.

“A fábrica irá melhorar a economia do negócio do sector da indústria de cimento porque implicará a redução de importações de clínquer, um dos insumos mais utilizados no processo de fabrico”, disse Filipe Nyusi.

Moçambique Dugongo Cimentos é o nome da nova fábrica que vai produzir 5.000 toneladas de clínquer por dia, o que garante uma redução na sua importação em cerca de 360 mil toneladas por ano, que correspondem a 54 milhões de dólares, explicou o chefe de Estado.

“Com a produção do clínquer no país estaremos a contribuir cada vez mais para a redução do custo de produção do cimento, tendo como escopo a estabilização do preço final e o aumento da capacidade de compra do cimento pelos moçambicanos”, referiu o Presidente.

Relacionado  O Grupo Raxio em expansão pan-africana

Segundo Filipe Nyusi, para a construção da fábrica foram investidos 330 milhões de dólares, tendo empregado 350 pessoas.

“Reafirmo o compromisso de promover e atrair mais investimentos e empresários para estabelecer unidades industriais de produção de clínquer nas outras regiões do país”, concluiu Filipe Nyusi.

A contar com a nova fábrica, Moçambique passa a ter 16 produtoras de cimento, nove das quais na província de Maputo e as restantes sete em Sofala, no centro do país, Nampula e Cabo Delgado, no Norte, e que têm, conjuntamente, a capacidade anual de produzir sete milhões de toneladas de cimento.

FONTENotícias ao Minuto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui