Sábado, Junho 15, 2024
spot_img

Lançado fundo de 11,5 milhões de dólares para PME de alimentos nutritivos em Moçambique

A Confederação das Associações Económicas (CTA) e a Aliança Global para uma Nutrição Melhorada (GAIN) uniram esforços para lançar o Mecanismo de Financiamento de Alimentos Nutritivos (Nutritious Foods Financing Facility-N3F), durante a 19.ª edição da Conferência Anual do Sector Privado (CASP). Com um orçamento inicial de 726,8 milhões de meticais (aproximadamente 11,5 milhões de dólares), este fundo visa apoiar as Pequenas e Médias Empresas (PME) dedicadas à produção de alimentos saudáveis.

Rafael Nzucule, gestor de Engajamento Externo da GAIN, explicou a necessidade dessa iniciativa, destacando os desafios enfrentados pelas PME na busca por oportunidades de desenvolvimento. Ele salientou que cerca de 80% dos alimentos consumidos são produzidos por essas empresas. Em 2018, a GAIN e seus parceiros globais optaram por criar um fundo que oferecesse suporte técnico e financeiro às empresas de alimentos.

O fundo, implementado em colaboração com a Inconfin Investment Management, possui três componentes principais. Primeiramente, destina-se ao financiamento de PMEs focadas na produção de alimentos seguros e nutritivos na região da África Subsaariana. As empresas podem solicitar apoio financeiro entre 18,9 milhões e 63,2 milhões de meticais (aproximadamente 300 mil a 1 milhão de dólares). Embora o fundo comece com 11,5 milhões de dólares, a expectativa é angariar mais apoio dos doadores até atingir 3,1 mil milhões de meticais (cerca de 50 milhões de dólares).

A segunda componente consiste na prestação de assistência técnica pré e pós-investimento às empresas sob a liderança da GAIN. Por fim, há a componente de monitoramento, avaliação e aprendizagem, destinada a documentar os sucessos na implementação do fundo e atrair novos parceiros para a iniciativa.

Para acessar o fundo, as empresas devem atender a certos critérios, incluindo um volume de negócios anual mínimo de um milhão de dólares nos últimos três anos, sustentabilidade comercial e estar localizadas em países da África Subsaariana.

Agostinho Vuma, presidente da CTA, destacou que o fundo adopta uma abordagem de financiamento misto para melhorar a nutrição, incentivando as PMEs a aumentar a produção e venda de alimentos nutritivos localmente. Será disponibilizado um link para a submissão de projectos, fortalecendo a parceria entre a CTA e a GAIN Moçambique.

A 19.ª edição da CASP, realizada em colaboração com o governo, visa discutir os progressos e desafios do Pacote de Medidas de Aceleração Económica e promover um ambiente de negócios mais competitivo. Projectos avaliados em 75,8 mil milhões de meticais (cerca de 1,7 mil milhões de dólares) serão debatidos durante o evento, que conta com a participação de empresários estrangeiros e milhares de participantes, presenciais e virtuais, ao longo de três dias.

Entrevistas Relacionadas

IIAM recebeu um financiamento de 17 milhões de meticais para produção de sementes melhoradas em Nampula

O Instituto de Investigação Agrária de Moçambique (IIAM) garantiu...

Província de Manica investe na capacitação de agricultores de trigo e hortícolas

O Governo da província de Manica, no centro do...

Moçambique vai aumentar a produção de milho com variedades geneticamente modificadas

O Instituto de Investigação Agrária de Moçambique (IIAM) para...

Gaza atrai investimento para produção de arroz

A entrada de novos investidores está a reanimar a...