Quinta-feira, Julho 18, 2024
spot_img

Ana Gunde lidera nova associação para empoderamento de Mulheres no Sector de Seguros em Moçambique

A actual directora executiva da Standard Correctores de Seguros, Ana Gunde, foi, recentemente, nomeada directora executiva da Associação Africana de Mulheres em Seguros (AIWA), em representação de Moçambique.

Desde a sua criação em 1972, a Organização Africana de Seguros (conhecida como The African Insurance Organisation – AIO) tem sido um alicerce não governamental amplamente reconhecido por diversos governos africanos. Como a maior organização de seguros em África, a AIO promoveu uma colaboração fundamental em várias esferas, incluindo a Africa Insurance Women Association (AIWA), uma afiliada dedicada a elevar e capacitar as mulheres no sector de seguros em Africa.

A nomeação de Ana Gunde surge na sequência de se ter destacado no lançamento do projecto de criação da Associação Moçambicana de Mulheres em Seguros (AMMS), que visa dar visibilidade às mulheres no sector e está afiliada à Associação Moçambicana das Seguradoras.

A propósito da nomeação, Ana Gunde sublinhou a falta de representação feminina nos cargos de liderança nas seguradoras, destacando a necessidade de uma abordagem proactiva para capacitar e promover as mulheres no sector. Por outro lado, ressaltou que, mesmo entre as correctoras, a presença feminina é limitada e a associação vai trabalhar em colaboração com a Associação Moçambicana das Seguradoras para desenvolver planos de sucessão que incluam as mulheres.

A directora executiva mencionou alguns desafios no mercado de seguros moçambicano, como a revisão do regulamento e a necessidade de ampliar o conhecimento sobre seguros entre a população. Além disso, destacou a importância da digitalização no sector, sobretudo a necessidade de soluções digitais que ofereçam conveniência aos clientes.

Ana Gunde, que também foi nomeada para representar Moçambique a nível africano, enfatizou a importância de dar visibilidade a Moçambique em conferências internacionais, destacando fóruns sobre as mudanças climáticas e o seu impacto nos seguros como uma das áreas críticas.

A recém-empossada expressou ainda optimismo em relação ao crescimento do mercado de seguros em Moçambique, mas destacou a importância de rever os regulamentos para permitir que o mercado local tenha acesso a grandes projectos de seguros, actualmente predominantemente negociados fora do País.

Entrevistas Relacionadas

Hollard expande benefícios a trabalhadores de PMEs

Hollard Moçambique está a expandir a sua oferta de...

Emose obteve lucro de mais de 40 milhões de Meticais em 2023

O resultado líquido da Empresa Moçambicana de Seguros (Emose)...

Fidelidade Ímpar recebe certificação do Great Place To Work como uma das melhores empresas para trabalhar

A Fidelidade Ímpar foi recentemente certificada pelo Great Place...

Governo revoga licença da Austral Seguros devido à falta de garantias financeiras

O Instituto de Supervisão de Seguros de Moçambique (ISSM),...