Revolução Digital – Como as empresas irão abraçar a tendência

revolução digital

A revolução digital veio para ficar. Uma empresa que esteja presente na net com o seu website e em redes sociais como facebook, linkedin ou instagram, tende a ser vista como uma empresa pouco credível.

Como descrito num artigo publicado pela Profile, a COVID-19 veio acelerar a digitalização dos negócios.

Conforme a influenciadora e arquitecta brasileira, Carol Cantelli, “ou você é ponto com ou você é ponto fora”, ou seja, não estar online é praticamente não existir.

Contudo, pode parecer desafiador para os donos de empresas fazerem essa transição de intensificação da presença digital.

É natural que surjam perguntas como “o que é necessário?”, “quem preciso contratar ou é mesmo necessário contratar?”, “quanto precisaria gastar mais?”.

E, essas perguntas são as que pretendemos responder.

O primeiro passo

A primeira coisa que deve ser feita ao intensificar a presença digital é pensar na narrativa da marca.

Isso começaria com buscar respostas para estas perguntas: “Como é que a empresa quer ser lembrada?” “Que tipo de sentimentos quer suscitar na audiência e acima de tudo, qual é a audiência que se deseja alcançar?”

Muito diferente do que se pensa, cada post nas redes sociais devem ser pensados e alinhados ao objectivo principal e isso requer um bom trabalho de base para definir esse objectivo.

Montando a equipa

É tempo de acelerar a digitalização, mas, também é tempo de garantir maior produtividade com menos gastos.

Às vezes, a empresa não é grande o suficiente para contratar um departamento completo – copywriter para escrever os textos publicitários, estrategista de marketing, designer, videógrafo e gestor de redes sociais.

Mas, esse não é motivo para negligenciar esta parte que pode revolucionar o seu negócio.

Pequenas empresas podem contratar pequenas agências de marketing digital ou um profissional que faça os designs e publique nas redes sociais.

Contudo, o aceitável é ter, no mínimo, uma equipa de duas pessoas. A que cuidará do design e a que vá desenhar as estratégias e campanhas, bem como publicá-las.

Qualificações que deve procurar 

Apesar deste ser um advento não tão novo no mundo, em Moçambique, é raro encontrar esses profissionais ou até saber da sua existência. Então, que tipo de qualificações deve buscar?

1. Designers e videógrafos dispensam apresentações. Eles precisam ser responsáveis para entregar os trabalhos a tempo e criativos para executar as ideias – o que pode ser comprovado através de um portfólio.

2. Copywriter, estrategistas e gestores de redes sociais devem ser pessoas com fortes habilidades de persuasão e comunicação objectiva.

Importa também que estes profissionais conheçam o funcionamento das redes sociais e estejam atentos às tendências do mercado.

Formação em artes, comunicação ou marketing, é um dado vantajoso, mas, não mandatório pois estes são cargos práticos e criatividade não é algo que dependa de diploma.

A revolução digital veio para ficar. Independentemente do modelo que escolher – contratar uma equipa completa, uma agência ou um profissional freelancer – é importante é manter em mente que a transformação digital é a tendência que todas empresas terão mais cedo ou mais tarde terão de acompanhar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui