Uma nova unidade de produção e processamento de banana no distrito de Moamba, província de Maputo, acaba de iniciar a exportação da sua produção, reforçando a posição de Moçambique na produção regional e na cadeia de abastecimento do produto.

 

Trata-se de uma  propriedade da empresa Bananalândia Lda com  equipamentos modernos para o plantio de bananeira.

 

A mesma ocupa uma área de 900 hectares e emprega mil trabalhadores. Representa um investimento da ordem de 20 milhões de dólares e tem capacidade de produção anual de 3,5 milhões de caixas para exportação.

 

Falando na cerimónia de inauguração, o ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Celso Correia, disse que a nova unidade vai permitir à empresa explorar mercados mais exigentes.

 

Segundo Celso Correia, o grupo Bananalândia já é referência na produção e exportação de banana em Moçambique. O ministro lembrou que, na última década, muito se tem feito para tornar Moçambique uma referência regional e continental na produção de banana, tendo produzido cerca de 600 mil toneladas em 2016, uma das melhores colheitas de todos os tempos.

Relacionado  Sector agrário no país conta com um fundo USD 16.5 milhões

 

A doença do Panamá (Foc TR4) e o vírus Banana Bunchy Top Virus (BBTV) causaram uma desaceleração da produção, levando o governo a introduzir variantes mais resistentes.

 

Em representação do governador da província de Maputo, Paulo Cossa fez notar que esta parte de Moçambique tinha, desde o início de 2000, registado um investimento significativo na produção de fruta, com destaque para a banana.

 

A actual produção de banana na província de Maputo ronda as 249.829 toneladas, numa área de cerca de 5.140 hectares. Destes, 4.719 hectares são administrados por empresas comerciais privadas, o restante por pequenos produtores, principalmente familiares.

 

A produção de banana contribui com 3,9 por cento do valor total da produção agrícola da província de Maputo.

 

A província tem 22 empresas privadas que plantam banana, nos distritos de Namaacha, Moamba, Boane, Manhiça e Marracuene, 80% das quais são exportadas para a África do Sul, Botswana e Reino de eSwathini.

Este setor é um dos maiores geradores de empregos diretos no setor agrícola, com uma média de 1,3 trabalhadores por hectare, o que significa cerca de 6.100 empregos diretos e 11.000 indiretos, totalizando cerca de 17.100 trabalhadores.

FONTEClubofmozambique.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui