Quarta-feira, Maio 22, 2024
spot_img

“O marketing pessoal vem em primeiro”

Está sempre atenta ao detalhe, quer na rua, em casa e nos feeds das redes sociais, é empreendedora e marketer de profissão, não quer ser confundida com influenciadora digital, mas defende de pés juntos que para o sucesso vem em primeiro lugar o marketing pessoal.

Falamos de Samera Rajá, de 44 anos de idade, fundadora da Tempero Rajá LDA e do Clube de Amantes de Chá, Café e Livros de Moçambique (Coffee And Tea Lovers Mz), aceitou um dedo de conversa com o Profile onde fala da relação entre si, o marketing e o empreendedorismo.

É formada em marketing…

Sim, sou marketer, gosto de me identificar como empreendedora, de criar clubes e de estar em movimento com as pessoas. Trabalhei 10 anos no sector administrativo de uma organização humanitária, mas podes crer, há sempre um espaço para o marketing, em tudo.

Como isso funciona?

No meu antigo trabalho sempre encontrava aspectos por melhorar na perspectiva da comunicação, afinal o marketing confere versatilidade a quem exerce porque não tem grandes fronteiras com as outras áreas do saber, consegue se encaixar em tudo, até porque toda iniciativa tem por fim vender alguma coisa.

Foi assim que chegou ao empreendedorismo?

Eu sempre fui boa em organizar festas para minha família e amigos, mas depois pensei que era melhor monetizar essa habilidade. Foi daí que em 2020, durante a pandemia da Covid-19, criamos a nossa empresa.

Uma empresa de eventos durante a pandemia?

Sim, implementamos um conceito de festa virtual para um aniversário, arranjamos um bolo e repartimos pelo número de pessoas de interesse do cliente, depois procedemos às entregas ao domicílio e as pessoas, por sua vez, mandaram vídeos de felicitações para o aniversariante. Muitas pessoas gostaram da iniciativa e vieram mais clientes.

E o negócio continua esse?

Foi assim naquele contexto da pandemia, mas nós somos uma empresa de coordenação e gestão de eventos, fornecemos DJ, mesas, cadeiras, fotógrafo, cozinheiro, etc e ainda fazemos a gestão desses profissionais para que tudo ocorra conforme a expectativa do cliente.

Que conceito dá ao empreendedorismo baseado na sua experiência?

Para mim empreendedorismo é inovação, não vale a pena exercer uma actividade da mesma forma que os concorrentes estão a fazer, precisa-se ser um sujeito pensante, o marketing também é uma forma de reinvenção de conceitos a fim de promover mais visibilidade, mais vendas e mais lucros, é pensar fora da caixa.

Qual é o seu segredo para o sucesso?

Confio no profissionalismo e na capacidade de invenção, são as virtudes que me põem em cima.  Cada evento tem de ser uma experiência única, que se enquadra na personalidade de cada um dos nossos clientes.

Outras valências?

Faço gestão de mídias sociais e tenho dois clientes para quem faço o marketing de redes sociais.

O terceiro cliente é a si própria?

Não, primeiro é o marketing pessoal, porque as pessoas compram seu produto quando veem que tu és um exemplo, não vão comprar se não fores exemplar, então tens de começar consigo mesmo, esse é o meu lema.

Destacam-se algumas marcas nas suas redes sociais, principalmente de café…

Eu gosto de café, também é coisa da família, todos gostamos. Criei o clube Coffee and Tea Lovers Mz como um espaço para trocarmos sinergias entre os apreciadores. Um café é um ponto de encontro, um início de tudo, então a veia do marketing me tornou promotora de algumas marcas de café, também é preciso monetizar as habilidades.

É também influenciadora digital…

Eu não sou influenciadora digital, sou marketer, uso ferramentas de comunicação para alcançar os meus objectivos comerciais ou posicionamento das marcas com que trabalho, a minha ação resulta de um plano, de uma estratégia, um estudo feito. Nada contra os influenciadores digitais, eles fazem o seu trabalho, mas há que respeitar os marketers, pois o influenciador digital é, na verdade, um instrumento de marketing e por isso, uma ferramenta desse profissional que é o marketer.

Qual é que tem sido o principal desafio do marketing digital no nosso mercado?

Eu encontro o fraco conhecimento e reconhecimento do papel do marketer na dinamização das empresas e marcas. Outro desafio é a expectativa imediata em relação aos resultados dos investimentos nas campanhas de marketing digital.

Um conselho para quem está a iniciar um negócio?

Muita persistência e acima de tudo inovação, antes de iniciar um negócio tem que pensar na novidade que vai oferecer ao mercado. Um dos piores erros que podem ser cometidos por alguém que está a iniciar um negócio é a imitação, se Samera está a fazer, como é que eu não posso fazer? Mas não é bem assim.

Entrevistas Relacionadas

CoWork Lab premiada como melhor espaço para empreendedores

A CoWork Lab, foi eleita pelo Africa Startup Ecosystem...

Startups africanas convidadas a candidatar-se ao prémio Kofi Annan

A Chancelaria Federal Austríaca e a Fundação Kofi Annan...

Montepuez Ruby Mining investe em empreendedorismo com projecto “Opyithikula Ocumi” em Namanhumbir

A Montepuez Ruby Mining (MRM) anunciou um investimento significativo...

Generation Ready: mais oportunidades para auto-emprgo precisa-se, diz Petersburgo

No país, há alguns programas destinados a apoiar técnico...