Sexta-feira, Julho 12, 2024
spot_img

Perspectivas Promissoras: Indústria Extractiva aponta para crescimento em 2024

Governo prêve para o sector da indústria extractiva um crescimento de 18,6% que conta com o aumento da produção da maioria dos minerais com grande peso na estrutura global, nomeadamente o ouro, as areias pesadas, a grafite e o carvão térmico. Dados apresentados na proposta do Plano Económico e Social e Orçamento do Estado – PESOE para 2024.

No âmbito da gestão dos procedimentos técnicos de rastreio da produção e da comercialização de metais preciosos e gemas, a UGPK tem feito o acompanhamento no terreno das actividades realizadas pelas empresas mineiras que operam no ramo de ouro e gemas, o que permite aferir a real produção e recuperação dos dados não declarados.

Em 2024, será intensificada a actividade de rastreio para maximização da colecta dos dados de produção por parte das empresas e da mineração artesanal.

O plano de produção do ouro indica um crescimento de 3% comparativamente às projecções para o ano 2023. O crescimento é resultado do maior controlo da mineração artesanal, bem como do desempenho positivo das empresas produtoras com maior enfoque para a empresa Explorator, Lda., pelo facto de, numa das frentes de exploração, a empresa contar com a Mutapa Mining Processing, Lda.

Por outro lado, temos a retoma das actividades da empresa KD Prospero. 105. O nível de produção de Tantalite até ao I semestre de 2023 situou-se em 51% em relação ao planificado e espera-se que até Dezembro mantenha-se na mesma tendência. Para 2024, prevê-se uma taxa de crescimento de 7% devido, em grande medida, aos altos níveis de produção da licença 724C da empresa Highland African Mining Company (HAMC), maior produtora deste mineral no país.

Entretanto, o Quadro Macro Fiscal 2024-2026, divulgado pelo Ministério da Economia e Finanças, perspectiva um aumento da procura de minérios no mercado internacional face a abertura das economias pós pandemia, prevê-se um incremento na produção de recursos minerais o que resulta, da adopção pelas empresas de medidas de mitigação visando reduzir os impactos negativos dos eventos climáticos e das repercussões do conflito Rússia-Ucrânia sobre as cadeias de oferta globais.

Neste cenário contribuirão para um bom desempenho da indústria extractiva o aumento da capacidade de produção e exportação do GNL; início de produção de empresas de Ouro em Nampula; aumento da produção das areias pesadas, com o início de produção nas novas concessões e ao aumento da produção da maior empresa de extracção de areias pesadas, como resultado do aumento da oferta pigmento de ilmenite e aumento da procura no mercado internacional. De salientar que a produção de GNL será responsável por cerca de 90% e 52% da taxa de crescimento do sector extractivo em 2023 e 2024, respectivamente, mas com uma tendência decrescente até 2026, à medida que o projecto Coral Sul opera na máxima capacidade instalada.

Por: Simão Djedje

Entrevistas Relacionadas

Criada a área de jurisdição portuária para facilitar o transporte de areias pesadas de chibuto

O Governo anunciou esta Terça-feira (9) que já foi...

Maputo acolhe debate sobre Transparência e Gestão da Indústria Extractiva

Maputo vai acolher um encontro significativo no qual representantes...

Processo de selecção para o comité de supervisão do fundo soberano encerra no dia 30 de Junho

O encerramento do processo de selecção dos candidatos ao...

INP considera movimento da Galp como rotineiro

O Instituto Nacional de Petróleo (INP) declarou na Quinta-feira,...